25-M: Resultados do Partido da Terra Eu-Návia nas eleições asturianas

Os votos recolhidos demonstram a existência de uma base de apoio para uma opção centrada na comarca e aberta à Lusofonia

O Partido da Terra quer mostrar através deste comunicado o seu respeito pola vontade dos eleitores expressada através das votações realizadas em passado 26 de março de 2012 nas eleições asturianas e quer agradecer igualmente a confiança depositada polas pessoas que votaram na candidatura apresentada polo Partido da Terra Eu-Návia na demarcação eleitoral correspondente do Principado.

O PT quer também celebrar o facto de ter superado a sua primeira experiência eleitoral no processo que culminou ontem 25 de março no quadro das eleições à Junta Geral do Principado das Astúrias. Esta participação não foi apenas importante por ter sido a primeira na que o PT concorre desde a sua constituição faz oito meses, mas também por ter sido a primeira ocasião em que uma candidatura fundamentada na defesa dos inter esses, língua e cultura da comarca do Eu-Návia é levada para a frente.

Os dezasseis votos recolhidos (0,08% do voto emitido na Terra Eu-Návia e algo mais do 1% do voto CERA correspondente à comarca) podem aparentar um resultado pobre desde a simples métrica eleitoral, mas demonstram a existência de uma base de apoio para uma opção centrada na comarca e aberta à Lusofonia. As dificuldades de divulgação da candidatura, apresentada como simbólica desde o início, com um orçamento de zero euros e nenhum ato formal de campanha, não foram obstáculo para inaugurar uma nova aproximação à política no Eu-Návia que necessariamente deverá consolidar uma estrutura e tender pontes às organizações e pessoas da comarca.

Mesmo assim, no contexto da circunscrição ocidental, onde o Eu-Návia representa apenas uma fração da população e do território, há que ter em conta que apenas os cinco partidos que obtiveram representação (PSOE, PP, FAC, IU e UPyD) ultrapassaram os 250 votos. Se apenas tivermos em conta os concelhos da comarca, nenhum dos partidos sem representação supera os 100 votos. Por exemplo, a asturianista Unión Renovadora Asturiana, partido com maior número de votos em toda a circunscrição ocidental dentre os que não obtiveram representação, obteve apenas 12 votos no Eu-Návia, enquanto os também asturianistas Andecha Astur e Bloque por Asturies obtiveram 6 e 17 votos respectivamente.

Não se pode negar a indiferença que o processo eleitoral tem gerado entre a população, alcançando a abstenção um 45% no conjunto da circunscrição ocidental e mais de 60% nalgum dos concelhos da comarca, como é o caso de Íbias. É esta abstenção que evidencia a necessidade de criar e dar a conhecer alternavas políticas à “democracia representativa” como sistema, promovendo a restauração das instituições tradicionais de democracia direta e nomeadamente o concelho aberto paroquial.

Finalmente, e partindo da nossa discrepância e disconformidade essencial com o sistema político vigorante atual, parabenizamos os vencedores da convocatória eleitoral na esperança, incerta, de que o seu agir possa servir dalguma maneira para resolver algum dos inúmeros retos que atingem as cidadãs e cidadãos do Eu-Návia em particular, e de todas as Astúrias em geral, confirmando não obstante e da mesma maneira a nossa vontade para continuar oferecendo alternativas sérias, precisas e necessárias à cidadania para a superação dos retos e problemas que não serão resolvidos com certeza a partir das ferramentas políticas, sociais, económicas e ambientais em vigor.

Escrito por