PT leva à sua assembleia geral a proibição de salários para cargos eleitos e renúncia a subsídios eleitorais

O Partido da Terra celebrará a sua II Assembleia Geral em Rianxo no dia 17 de junho

O Conselho Executivo do PT vem de convocar o máximo órgão do partido, a Assembleia Geral, para se reunir na vila de Rianxo no próximo 17 de junho. Esta II Assembleia Geral terá especial importância, uma vez que nela se aprovará a versão final do Programa Político cujo debate se inciara com a anterior assembleia, celebrada em setembro de 2011, e que desde janeiro deste ano esteve disponível numa plataforma wiki para a sua livre edição. O programa ficará aberto a emendas, que poderão ser feitas por qualquer pessoa, até 31 de maio.

Nesta Assembleia também serão discutidas diversas emendas aos Estatutos, incluindo a proibição de que os cargos eleitos do partido possam receber qualquer tipo de remuneração do Estado polo exercício da atividade política assim como a renúncia expressa a que o PT possa obter qualquer tipo de subsídio público, incluindo os derivados dos resultados eleitorais. Esta medida procura ser consistente com as propostas de desprofissionalização da vida política que, na visão do PT, deve estar fundamentada na participação direta e ativa, sem mediação de qualquer representante, em assembleias populares dotadas de soberania.

A Assembleia deverá decidir ainda sobre a fórmula de participação do PT nas próximas eleições autonómicas, dando continuidade aos pontos expressados no documento de mínimos elaborado polo PT para avaliar a sua hipotética participação em uma coligação eleitoral. Também se procederá a reestruturar o Conselho Executivo do partido, ampliando o número de vogalias e fixando áreas de responsabilidade específica para cada uma.

Escrito por